Processo de Produção da Madeira Engenheirada

O processo de produção da madeira engenheirada começa desde o plantio da matéria-prima, obtida de florestas de manejo. Essas florestas, são plantadas para fins comerciais e, durante o seu crescimento, retiram CO2 da atmosfera, tornando-se um material mais sustentável e renovável quando comparado ao concreto e aço. Dessa forma, seu crescimento acontece de forma controlada, com diversas técnicas de poda e colheita para atingir melhor qualidade e, consequentemente, melhor desempenho estrutural.

A Rewood utiliza duas espécies de madeira, sendo o Pinus Taeda e Eucalyptus Grandis ou Uro Grandis, que são provenientes de florestas de manejo. Após o corte das toras de madeira, as mesmas são serradas em seções menores, conhecidas como lamelas (tábuas). Em seguida, são secas em estufa e, no caso do pinus, devido a sua densidade, é aplicado tratamento preservativo em autoclave com CCA ou CCB, então segue novamente para a estufa.

Para a fabricação da madeira engenheirada, como MLC (Madeira Lamelada Colada) ou Glulam (Glued Laminated Timber) e NLT (Madeira Lamelada Pregada ou Nail Laminated Timber), são utilizadas lamelas aparelhadas coladas ou pregadas entre si, ou seja, passam por um processo fabril em que são selecionadas e preparadas para a elaboração de cada peça do projeto, seja um pilar, viga ou laje.

A princípio, o estudo pode se basear na busca pela compreensão do material: o que é a madeira e seus produtos engenheirados, como esses produtos se comportam estruturalmente e quais são as características estéticas relevantes para compor o seu projeto. A título de exemplificação de elementos pré-fabricados tem-se o MLC, NLT, CLT e Wood Frame.

A partir disto, é iniciado uma sequência de maquinários que irão preparar as lamelas em aspectos dimensionais de acordo com a peça final que será fabricada.

1º – Multilâmina: é utilizada para abrir as lamelas, efetua diversos cortes simultâneos;

2º – Classificação visual: analisa-se a presença de características naturais da madeira que interferem em sua resistência mecânica, como nós, medulas, trincas, esmoadas, entre outros. Caso apresentem dimensões maiores que as permitidas em norma são retirados;

3º – Fresa: realiza o corte dentado nas extremidades das peças, dessa maneira é possível fazer as emendas e atingir o comprimento especificado em projeto;

4º – Finger Joint (ou emendas dentadas): aplica-se cola sob pressão (de acordo com padrões normativos) nas emendas dentadas para dar continuidade nas peças;

5º – Moldureira: neste maquinário é feito o desempeno e retirada de impurezas / imperfeições das peças.

Em seguida, com as lamelas aparelhadas, é possível iniciar o processo de montagem do MLC e NLT.

Tendo compreendido o comportamento do material, vamos para a parte principal que é concepção do projeto: o desenho em madeira que visa otimizar a sua utilização se difere do desenho em materiais mais usuais como o concreto ou o aço, visto o comportamento inerente de cada um. Para projetar em madeira é importante conhecer o conceito de modularidade, o qual pode ser definido como um sistema dimensional que trabalha com a ordenação de espaços em prol da racionalização da construção (LUCINI, 2001). Por exemplo, trabalhar a madeira com vãos modulares, com espaçamentos entre pilares de 4m x 4m ou 4m x 5m pode ser uma ótima alternativa para atingir o melhor custo benefício em seu projeto.  Todavia, isso não significa que trabalhar com a madeira esteja limitado a este tipo de conceito, mas em geral, seria o melhor caminho caso o seu objetivo seja atingir um bom custo beneficio e a utilização de peças mais esbeltas.  

  • MLC (Madeira Lamelada Colada)

A madeira lamelada colada ou glulam (glued laminated timber) é composta por lamelas coladas entre si com a direção das fibras no mesmo sentido do eixo longitudinal da peça.

Após a moldureira é feita a montagem/sequência das lamelas de acordo com as especificações de projeto. Aplica-se o adesivo estrutural e, em seguida, a prensagem com cura de 2 horas, em média.

  • NLT (Madeira Lamelada Pregada ou Nail Laminated Timber)

A madeira lamelada pregada ou nail laminated timber é composta por lamelas pregadas entre si, formando um painel.

É adicionado mais uma etapa na moldureira para a realização dos frisos das lamelas, já que o NLT apresenta a face (inferior) aparente como forro. Então, são posicionadas de acordo com as especificações de projeto e pregadas. Além disso, para melhor uniformidade e comportamento estrutural do composto, fixa-se uma placa de OSB (Oriented Strand Board) na outra face (superior).

Feito isto, as peças vão para a fase de acabamento, onde são lixadas e aplicada uma demão de stain (camada hidrorrepelente protetora). Após secas, estão prontas para serem carregadas, entregues na obra e montadas.

Uma das principais vantagens da madeira engenheirada é a redução da não-homogeneidade / variabilidade do material, obtendo-se um maior controle das propriedades físico-mecânicas e maiores valores de resistências devido as tecnologias aplicadas anteriormente mencionadas.

A Rewood oferece em seu site, tanto na área do BLOG, quanto na área de E-BOOKS, alguns materiais que podem auxilia-lo durante o seu estudo. Nossos(as) engenheiros(as) e arquitetos(as) estão à disposição caso deseje tirar alguma dúvida e conhecer um pouco mais sobre os nossos serviços. 

Se gostou desse conteúdo e deseja continuar atualizado sobre esse e outros assuntos, siga nossas redes sociais: Instagram | Facebook | Linkedin


Stephanie Premazzi Rego
Stephanie Premazzi Rego
Engenheira Civil, atua como Projetista Estrutural na Rewood
Open chat